sexta-feira, julho 14, 2017

A CONFISSÃO DO LADRÃO DE BEIJOS

*
sim
novamente
podem parar
de bater
eu confesso

roubei beijos de todas as minhas ex-namoradas
e os passei em cantadas
mal assimiladas
ou às vezes até
bem dissimuladas

sim: já podem parar
de bater em mim
e no meu pobre discursinho
e me encarcerar
no vosso esquecimento:
mais cimento do que
esqueci o que ia dizendo...

sim: sim: sim: foi o que eu disse:
isso isso isso isso isso

aceitei as propinas dos sorrisos
bulindo em bochechas e lambendo olhares
densos
tensos
imensos

negociei as duplicatas das cagadas sentimentais alheias

foram tantas que agora meu desejo são presídios-ilhas
uma a cada ano
na sentença, meritíssimo: tenha essa clemência
com toda a vossa santa sapiência
de piá de prédio

sim: desculpem
eu não quis ofender
eu não quis destratar a colega de trabalho
sendo assim ominosamente um artista de circo

e agora estou aqui livre
sendo torturado instante a instante
e querendo agir de algum jeito
para que a grande maioria não siga como cega
e cegando os camaradas ao redor rumo ao abismo

porém: fim:
masco mais conforme McCartney então,
que já há sangue demais pelas ruas:

deixa estar: a mãe Maria virá para todos.

ijs

Nenhum comentário: