terça-feira, novembro 21, 2017

DESENCARGO DE INCONSCIÊNCIA

[pra ninguém em particular]

a gente era o casal que dançava colado na cozinha
eu sempre na casa dela: ela, na minha

mesmo em galinheiro cheio nunca tinha rinha:
eu olhava as outras porém me continha

o final da história foi um verso ímpar

sei que minha barra jamais voltará a ser limpa
mas se é triste é alegre porque foi supimpa

ijs

Nenhum comentário: