segunda-feira, outubro 30, 2017

UM POEMA PARA UMA PROFESSORA

(para ela que sabe que é ela mesma)


Gostaria de nunca escrever um acróstico.

Ler nunca foi a minha praia deserta.

Aliás, acho que já fiz uns acrósticos.

Um dia eu li um livro inteiro numa tarde.

Caraca! É horrível usar gíria importada...

Ivans são sempre complicadinhos de lidar.

Acho melhor parar por aqui, já deu pra cabeça...

]
ijs

sexta-feira, outubro 06, 2017

O AMOR DE SEMPRE

*
O amor de sempre prossegue crescendo.
Vai ocupando todos os espaços.
Os pés levam as mãos até os abraços.
O peito arfando, o coração batendo.

Por onde eu ando eu sigo a tua pista.
Não sei por que é que eu faço isso de novo.
Eu tenho mais tentáculos que um polvo
Mas só você me faz malabarista.

Tal sentimento, se elevado ao cubo,
Trastejaria qualquer ser humano.
Dentro de ti só floresço e sucumbo

Como a criança que cresce ano a ano.
Se você for a louca eu sou o louco
E a eternidade assim pode ser pouco...


ijs & Chico "Capetão" Cardoso
Bar do Torto, 5 de outubro de 2017.

quinta-feira, outubro 05, 2017

MINHA BALA É MINHA CLAVA

Minha bala é minha clava
E ela se chama palavra:

Palavrão para os pudicos
Se atocha no cu dos ricos
E em rabos de tiriricos
Essa clava também lava:

A chama que arde em fuxicos
Santa Joana já espalhava:

Minha bala é minha clava
E ela se chama palavra.

ijs

segunda-feira, outubro 02, 2017

FODA-SE, SOCIEDADE CAGADA...

Foda-se, sociedade cagada, que valoriza músculos em vez de raciocínios, que sabe uma titica e arrota o que nunca vai saber, que se deixa levar pelas ondas de momento, que só age infantilizada ou em pânico, que sempre reage mal, que sempre leva a mal, que se rende à lei do menor esforço porque combina preguiça com incapacidade e estupidez com quem se esforça.

Foda-se, sociedade cagada, que adora ser enganada, que entra várias vezes na fila para ser manipulada, que repete opiniões e pretensas ideias (no fundo ódios), que sofre mas aceita e admira ídolos vazios e falsos, que não reconhece ou mal e porcamente entende seus supremos artistas, que sustenta luxos grotescos de medíocres divinizados, sociedade antissocial que não se reconhece.

Sim: foda-se, sociedade Caliban, gosma monstruosa que ao se olhar no espelho foge correndo com raiva e incompreensão.

Foda-se várias, inúmeras, infinitas vezes, até a geração que conseguir sobreviver neste meio social apodrecido, fedorento, corrompido, bajulador, poluído e poluente: o lixo é menos tóxico que essa pretensa gente.

ijs