quinta-feira, agosto 23, 2007

SE O NÃO FOSSE AINDA

Se o não fosse ainda
E cada cinzeiro sofresse
Apenas por uma (e mesma) guimba

E a carne que não encontrara
Até aqui seu leito e seu mexer
Pudesse um (e apenas um) encanto entretecer

Eu te decantaria
Num único tom
E sempre nessa mesma levada

Todo esse todo amor todo
Que me acertou
Que não restou mais nada

7 comentários:

Anônimo disse...

Belo poema, foto apaixonante...
Gaby Fonseca

Priscila disse...

Está parecendo com meu blog, qdo tinha fundo branco e minha foto em preto e branco.
Cabelos ao vento, está bem bonito nessa foto, mas mais ainda com uma foto que eu tirei.
Essa aqui:
http://intimaloucura.blogspot.com/2006/09/parece-me-ser-igual-dos-deuses-aquele.html

Anônimo disse...

Também gosto desta foto e mais do que isso, o ronronar em meus ouvidos...
G.F

verde velma disse...

tanta verdade em tão poucoas linhas. você é foda, camarada.

Carla disse...

Eu vou comentar também porque percebo que é uma reunião da equipe "já peguei". Comentei.

Anônimo disse...

huahuahua.....

Anônimo disse...

cat cat cat catchorra
é assim que falam no rio?!
huahuahua..