terça-feira, novembro 03, 2009

EDGAR WILLIAM ALLAN BLAKE POE

Edgar Allan Poe, investido de corvo,
Encontra William Blake em pele de tigre:
A este a pelugem empresta um ar de estorvo
E àquele a plumagem negra não denigre.

Assim figurei-os na imaginação
E um, só por ter visto o outro, se embeveceu
Pois ambos pensaram, cheios de razão:
“Meu poema-bicho é mais animal que o seu!”



8 comentários:

tecatatau disse...

muito bom IIIVVVAAANNNnnn...

Anônimo disse...

eu acho o meu Blake bicho, mais animal q o seu ;)

G.

Anônimo disse...

Nossa, nunca tinha reparado. O POEta é a cara do Tadeu!


Meu poema, bicho, é mais animal que o teu!
:P

n.

Anônimo disse...

digo,


THadeu! Oras!


n.

Ivan disse...

Nara:

sua interpretação do último verso foi uma das leituras que imaginei que fariam, pois especialmente Blake é um tipo de hippie... Eu o imagino facilmente falando: "bicho, o caminho do excesso leva ao palácio da sabedoria, morou?"

Mas entre "teu" e "seu", nesse verso prefiro "seu", pelo parnasiano motivo da consoante de apoio na rima ("embeveceu" com "seu" é o que se pode chamar de rima opulenta) -

e Thadeu é com teagá mesmo...

Giuliano Quase disse...

que tal um poema-pavão,ivanzito? ou dava pra colocar os artistas numa espécie de zoologia: aqui nós temos as araras bêbadas e as baratas com caspa na sobrancelha.
ho!ho!ho!ho! - como diria um persoangem do sérgio santanna, o gorila tem sempre razão.

e pega esta, ó homem, rei dos animais:

O MACACO

Me atravessa
com a odontologia
do seu riso largo.

(Revelação? Cúmplice
no passado?
Carteira de identidade?)

Filippo disse...

Eu fiquei imaginando o Borges entrando nesta conversa reinvidicando o tigre e ainda dizendo que o Poe e o Blake eram invenções suas, rs.

Anônimo disse...

Puxa,
essa tua minúcia é pura astúcia!
Ivandisseu

n.