segunda-feira, maio 07, 2007

anyone lived in a pretty how town


qualquerum vivia numa cidade bem qual

qualquerum vivia numa cidade bem qual
(com tão flutuantes muitos sinos acima e tal)
primavera verão outono inverno
ele cantava seus nãos ele dançava seus sins.

Mulheres e homens(os pequenos e os menos)
ligavam pra qualquerum um nada e menos
eles semeavam seus nens eles colhiam seus mesmos
sol lua estrelas chuva

crianças desconfiavam(mas poucas seriam
e abaixo esqueciam enquanto acima cresciam
outono inverno primavera verão)
que nenhuma o amava mais por mais

quando por ora e árvore por folha
ela ria sua alegria ela chorava sua tristeza
pássaro por neve e chocalho por leve
o qualquer de qualquerum era tudo pra ela

alguéns casaram seus todomundos
riram seus choros e fizeram sua dança
(sono vigília esperança e então)eles
disseram seus nuncas eles dormiram seu sonho

(estrelas chuva lua sol
e somente a neve começaria a explicar
como as crianças sabem se esquecer de lembrar
com tão flutuantes muitos sinos acima e tal)

um dia qualquerum morreu eu acho
(e nenhuma dobrou-se para beijar seu rosto)
pessoas ocupadas os enterraram lado a lado
pouco por pouco e foi por foi

todos por todos e fundo por fundo
e mais por mais eles sonharam seu sono
nenhuma e qualquerum terra por abril
desejo por espírito e se por sim.

Mulheres e homens(ambos dom e dim)
verão outono inverno primavera
colheram sua semeadura e foram seu vieram
lua sol estrelas chuva

e.e.cummings
i.j.santana

...

4 comentários:

Anônimo disse...

Puxa, lindo!

Maira disse...

ivan (acho q te conheço de algum lugar...:), o resultado é bom. gostei sim. mas não vou ficar comparando palavra por palavra com o original, até pq não sei do poema de cor, cierto? continue, quero ler más, mucho más.
superbeijo

Priscila disse...

no êxtase da dança
no sexo e no coração
ele dim ela dom

nhac

tradutor foda

Giuliano disse...

dia 11 de maio, sexta, a partir das 19 horas, na livraria arte&letra, dentro do lucca cafés especiais:

lançamento do livro "O sátiro se retirou pára um canto escuro e chorou", de Márcio Claudino.

lounge alternativo, coquetel... você.

o lucca café fica na al. presidente taunay, 40 - batel.