domingo, agosto 16, 2009

DIGA SIM OU NÃO: SIM OU NÃO

Não. Um bom versinho não se faz
com pouco risco e menos traço.
Seria melhor deixá-los em paz.

Não agir.
Não traduzir.
Não fazer o que ainda faço.


Mis pasos en esta calle
Resuenan
_________En otra calle
Donde
______Oigo mis pasos
Pasar en esta calle
Donde
Sólo es real la niebla.

________OCTAVIO PAZ
(apud Julio Cortázar,

Rayuela, capítulo 149)


Meus passos nesta praça
Ressoam
________Noutra praça
Onde
_____Ouço meus passos
Passar nesta praça
Onde
Só é real a névoa.

________OCTAVIO PAZ
(Versão brasileira:

Ivan Justen Santana)

Por que trocar calle por praça?
Porque poesia é assim:
numa língua vai de skate,
noutra, de patim...

Sim. Poesia se faz
arriscando-se o pescoço no laço
sem deixar verso algum descansar em paz!

Traduzo sem fuso
e cometendo abuso
com nossa última flor do lácio
a qual classificar-se-ia de fóssil
ou de animalzinho dócil
se ela fosse fêmea fácil.

2 comentários:

Gianna Roland disse...

Gostei:p

Michèle Sato disse...

olá IVAN
grata por permitir sua mãe me encaninhar sua dissertação, que lerei com atenção da pura arte... e do prazer dionísico!

Seu blog é muito bonito e gostei bastante. PARABÉNS.

Espero dialogar mais contigo. Que tal um poema conjunto?
beijoca
*