segunda-feira, agosto 31, 2009

DÍSTICOS ENSIMÍSTICOS (ou PORQUE HOJE É MAIS UMA MANHÃ DE SEGUNDA...)

Porque hoje é mais uma manhã de segunda
atiro mais um poema que não boia nem afunda

neste blog blaguejante – e com isso me permito
mais um neologismo meio feio e bem bonito.

Desoxirribonucleicamente hipomaníaco,
estribo-me na borboleta do teu osso ilíaco,

ó musa que me averiguou num verão passado:
ainda me averiguas, nua, como temos passado...

Sim, minha linguagem segue sendo hermeticazinha
e talvez eu seja mesmo um piá brincando de casinha,

simplesmente um sapato semivelho – mas ainda sirvo
pra fazer outra rima acabar em livro. Antes de ir, vo-

cês podem comentar aqui na caixa de comentários
e infeccionar mais a blogosfera com vírus vários –

clamem, reclamem e trocem: suas troças me soltam
a macaqueá-las com meus macaquinhos no sótão.

Estar ou não estar – é isto que está em questão:
por que esta dúvida estarrecerá – e outras não?

Afinal, largo ao elíptico e elusivo leitor uns sinais
na tentativa vã de ivan em versos verbivocovisuais:

agora você vê, agora você não V – seja feliz
nos ângulos dos eNes e nos pingos dos Is –

leiafaleveja o que há no vértice desse ralo A
– basta olhar o nada nessa letra e decifra-lo-á.

2 comentários:

Anônimo disse...

gostei muito, gatão.
vc é demais de...

G.

vinícius alves disse...

ducas, Ivan.
perfect.

abraço do vinícius