sábado, fevereiro 27, 2010

MAIS UMA POESIA FICÇÃO CIENTÍFICA PROFÉTICA REALIDADE ABSOLUTA

(só que dessa vez é distopia, porque o frio me secou a euforia)

O MUSEU DO MAUSOLÉU

esse é o desenho foto filme
animação jogo virtual
do nosso tempo

estamos no museu do mausoléu

não tema:
a morte não existe mais
e acabou-se o fim de tudo

tudo está e será sempre
novamente registrado

como nunca

essa é a nova lei
ou melhor
o velho postulado:

já não existe mais morte possível
todo cadáver será exumado
tudo que importa e não importa
será razão de sobra e ao lado
pra consagrar a alguma academia
e superar todo mal entendido

tudo merece a atenção
de quem quer que seja
e nada mais se perderá
pois alguém sempre quer rever de novo
basicamente todo mundo

qualquer coisa pode ser importante
contanto que seja qualquer coisa

o corpo é descartável
e a alma sumiu
mas ninguém mais acha
ninguém mais acha necessária

a morte já morreu
a indesejada foi assassinada
pela permanência eterna de tudo
mas principalmente de nada

o epílogo de tudo nada disso
não é inferno purgatório ou paraíso
e nem sequer é um mero céu

já não seria mais que um não epílogo
reencenando este nem não diálogo
de mim comigo e com um de mim eu
fazendo a dança de nenhum véu

aqui
no museu
do mausoléu

Um comentário:

Panda disse...

Bravíssimo Ivan!

És um maestro, meu caro... tens o dom supremo de orquestrar as palavras, fazendo-as soar assim tão bem!

Parabéns!