sexta-feira, março 30, 2007

Ao Francisco Cardoso

Aqui vai um poema feito num boteco de subúrbio, bebendo vinho barato.
Eu tinha perdido o papel, aí reconstruí o poema
(ficou diferente, mas bem igualzinho):
foi mal aí, Chico.

A promessa está na jura.
Toda cor no chifre atesta.
Saci cisca e Sara cura.
Jacaré mais sapo é festa.

Boitatá não sai na capa.
Curupira não galopa.
Toupeira não tem caçapa
Mas se der mole ela topa.

Ivan
Francisco

3 comentários:

b.l. disse...

créditos da imagem nova, por favor.

roberto prado disse...

Bingo!

Fraga disse...

Ah, eu que queria ter feito esse!