quarta-feira, maio 19, 2010

Rendendo homenagens


Tem um sujeito na nossa turma de amigos que eu vou falar pra vocês, é um cara que merece homenagens e condecorações.
É o tipo mais animado e divertido que eu conheço.
Eu o considero uma lenda viva da contracultura curitibana.
Ele organizou a primeira e maior exposição mundial de fanzines dessa cidade.
Ele teria diversos motivos para ser amargurado e agressivo, mas prefere ser simplesmente feliz.
E ainda por cima, formou-se em filosofia pela UFPR, em plena ditadura militar.

Édson de Vulcanis, também conhecido como "Aranha" e "Michael Édson", feliz proprietário dos blogs Aranha Céu, Dê dinheiro ao poeta, Ideias aracnídeas e Noções unidas.

Em sua própria definição, Édson é um anarcovigarista do bem.

Inigualável frasista trocadilheiro, Édson foi um dos poetas que abrilhantaram o evento Curitiba 12 Horas.

Prometi ao Édson traduzir uma canção de John Lennon (e Yoko Ono), uma canção que Édson gosta de cantar e cuja mensagem dá o que pensar.

Hoje, finalmente, cumpro essa promessa, feliz.

Aí está, Édson!:

A MULHER É O CRIOULO DO PLANETA
(WOMAN IS THE NIGGER OF THE WORLD,
by John Lennon & Yoko Ono)

A mulher é o crioulo do planeta
Sim ela é... pense sobre isso
A mulher é o crioulo do planeta
Pense sobre isso... ou aja sobre isso

Fazemos ela pintar o rosto e dançar
Se não é uma escrava, dizemos que ela não nos ama
Se ela é verdadeira, dizemos que está tentando ser homem
Enquanto a rebaixamos, fingimos que ela está acima de nós

A mulher é o crioulo do planeta
Se não acredita em mim, olhe a que está com você
A mulher é a escrava dos escravos
Ah, sim... melhor gritar sobre isso

Fazemos ela suportar e educar nossas crianças
E então a largamos de vez por ser uma velha mãe gorducha
Dizemos que o lar é o único lugar para ela
E aí reclamamos que ela não é companhia civilizada

A mulher é o crioulo do planeta
Se não acredita em mim, olhe a que está com você
A mulher é a escrava dos escravos
Ah, sim... (pense sobre isso)

Insultamos ela todo dia na TV
E cogitamos por que ela não tem confiança
Quando é jovem, matamos seu desejo de ser livre
E enquanto dizemos para ela não ser inteligente demais
Rebaixamos ela por ser muito tolinha

A mulher é o crioulo do planeta
Sim ela é... se não acredita em mim,
Olhe a que está com você
A mulher é a escrava dos escravos
Sim ela é... se você acredita em mim,
É melhor gritar sobre isso

Fazemos ela pintar o rosto e dançar
Fazemos ela pintar o rosto e dançar
Fazemos ela pintar o rosto e dançar

4 comentários:

Gianna Roland disse...

Sim, ele merece esta belíssima tradução.

Getulio Guerra disse...

Grande Vulcanis: queridaço!

Antonio Thadeu Wojciechowski disse...

Boa,Ivan. O Edson é tudo de bom e do melhor.

Anônimo disse...

Ivan,

Justa homenagem ao eruptivo Edson, que do alto de suas teias de Aranha está em alerta para incomodar o "status quo"!

E eu que não fui ao Paço para vê-lo em amistoso debate com a Kubota, estou aqui para o "mea culpa" público, eu, a pior vítima do meu anacronismo cronológico!

Parabés (novamente) ao Edson e ao Ivan, o Justen!


Ricardo Pozzo