segunda-feira, novembro 21, 2005

Postagem para o primeiro dia do resto da sua vida

Chega de conversa:
enjoei da prosa e resolvi que,
já que hoje é aniversário de uma das minhas musas,
voltarei a postar poemas,
tentando contemplá-las todas nessa nova seqüência.

Bom: eu sei que vou causar consternações,
ciúmes, desprezos, paixões, loucuras,
ou ainda uma máxima indiferença,
mas aí vou eu:
como diria Leminski,
a prosa é uma deusa que só diz besteiras
e fala de coisas como se novas:
assim,
eis umas rimas em tom de velhas conhecidas...


A MINHA MUSA DA AMIZADE

o que mais esperar
daquela que nunca vai tarde?
o que mais querer
da sua generosa amizade?

nada, musa artista e restauradora,
nada, musa amiga e companheira:

hoje eu não te peço nada -
também nada te ofereço:
hoje é o teu aniversário
e tua graça não tem preço -

na verdade, um quase nada,
um quasezinho de nadica
hoje, agora, aqui eu te deixo:

esses versinhos de franzir a testa,
erguer a sobrancelha, torcer o narizinho,
abrir a boquinha e derrubar o queixo.

***

Eu avisei a ela pelo telefone que ia postar um presente de aniversário:

ela disse: "não me comprometa!"

eu dei risada, disse: "claro que não! hahahaha"

e agora vou fazer de tudo pra comprometê-la...

Então vou postar aqui na seqüência um poema acróstico,

feito para ela por um amigo nosso,

também poeta como eu e também artista plástico como ela...


Tens nas pequenas mãos
A beleza da restauração.
Natureza poderosa!
Isso de que carece a vida
A cada segundo partida.

Sérgio Augusto

2 comentários:

luana vignon disse...

e tuas musas? estarão em pé de guerra ou numa comunhão orgiástica? muito boa a primeira oferenda... beijo

tania disse...

sergio augusto?
como? da onde?