terça-feira, junho 01, 2010

UMA NÊNIA A WILSON BUENO

*

Nossa Santa já não pode mais ser Cândida

Nossa vida assassinada e cada vez mais bandida

Facada que vem sem nem falar pra que vinha


Mas as frases não acabam no final da linha

Um sangue de poeta grava toda a escrivaninha


*

2 comentários:

wagner schadeck disse...

... é o tragicômico... Para ser mais preciso triste-alegre. Belo poema, Ivan.

Sobre meu poema: muito acertadas as tuas recomendações; providenciar-las-ei.
Quanto ao convite à cantoria: Seria legal, Ivan. Mas você sabe que sou "tremendamente" tímido (Lembra quando recitei Augusto?).
Então, nem vou lhe contar que pensei num conselho, para te fazer adicionar no mínimo o áudio à versão. Mas como não sei como se faz e/ou se isto é possível, eu nada digo!

Abraço

san disse...

Boa foto, Ivan, boa leitura da cena. É isso.